Pular para o conteúdo principal

Litoral ganha primeiro Arranjo de Desenvolvimento da Educação


Depois de estudos, análises de mais de oito mil dados e muito diálogo com Dirigentes Municipais de Educação de diferentes regiões do Paraná, a Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (Amlipa) foi a escolhida para receber apoio na implantação do primeiro Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) do estado, o ADE Litoral Paranaense. O trabalho de seleção foi conduzido pelo Instituto Positivo (IP), incentivador do modelo de cooperação intermunicipal em prol da Educação, que passa a conduzir a implantação do projeto em parceria com os representantes da educação dos municípios.

O ADE tem como premissa o trabalho em regime de colaboração entre municípios de um território com um mesmo objetivo: criar estratégias que ajudem a melhorar os indicadores da educação básica da região, com foco no trabalho cooperativo, na troca de experiências, no empoderamento dos secretários municipais de educação e em promover visibilidade aos projetos educacionais.

De acordo com a coordenadora de Implantação de Projetos Sociais do Instituto Positivo, Cristiane da Fonseca, o principal objetivo do movimento é contribuir com a educação pública do Paraná. “Queremos colaborar com um território que apresente, acima de tudo, disposição em atuar em cooperação e contribuir com o desenvolvimento educacional por meio de diferentes projetos voltados aos principais temas de interesse comum dentro do universo da Educação”, destaca.

O processo de seleção da região de implantação teve início em 2021 e levou quase um ano. “A escolha da região foi totalmente baseada em critérios técnicos, com utilização de dados e indicadores públicos analisados por profissionais das áreas de estatística, sociologia e Educação, garantindo assim total imparcialidade, ausência de conflito de interesses, bem como transparência e ética durante o processo de seleção, o qual será totalmente documentado”, ressalta Cristiane. 

Por fim, a Amlipa foi a associação escolhida para receber apoio técnico do Instituto Positivo (IP) no desenvolvimento do novo modelo de ADE proposto com um pilar voltado a projetos de melhoria da educação e outro ao fortalecimento dos gestores de programas e projetos educacionais pelo período mínimo de três anos. O IP também prestará apoio aos territórios que não foram selecionados para a implantação do ADE, disponibilizando um diagnóstico e encontros de reflexão e debate coletivo sobre os dados educacionais.

Vale destacar que o ingresso dos municípios é voluntário e a autonomia completamente garantida e registrada em um termo de parceria. As temáticas trabalhadas serão eleitas pelos Dirigentes Municipais de Educação e suas equipes, ou seja, nesse processo, o Instituto Positivo é um mediador de planejamento e investidor social do processo e impulsionador do trabalho colaborativo.

O Instituto Positivo contou com apoio da Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (Amlipa), Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e do Consórcio Intermunicipal de Educação e Ensino do Paraná (Ciedepar), para apresentar a proposta de implantação aos Dirigentes Municipais de Educação (DME).

Experiência colaborativa
O Instituto Positivo é dedicado a estudar e a difundir a metodologia dos Arranjos de Desenvolvimento da Educação por meio de palestras, encontros, guias, livros e outros materiais que auxiliam prefeitos e secretários de Educação interessados em adotar a metodologia em seus territórios.

Desde 2015, o IP coopera com a implantação, evolução e o acompanhamento do ADE Granfpolis, em parceria com o território formado por 22 municípios ligados à Associação dos Municípios da Grande Florianópolis . "Agora, a ideia é utilizar toda a experiência coletiva adquirida nesses cinco anos de projeto em Santa Catarina para contribuir com a implantação de um modelo semelhante em um conjunto de municípios paranaenses – que devem trabalhar em cooperação", conclui Cristiane.

Cenário
Atualmente, 238 municípios brasileiros trabalham em 15 diferentes Arranjos, alcançando resultados importantes como diminuição da evasão, correção de distorção idade/série escolar, elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação (Ideb), formação continuada e aprimoramento da grade curricular. São cerca de 450 mil alunos beneficiados com as ações desenvolvidas pelos ADEs.

Comentários