Pular para o conteúdo principal

O olhar voltado para o desgaste e o território

Obras do artista Tiago Tebet serão o destaque da SIM Galeria em Lima, na feira Peru Arte Contemporaneo 2015

A obra do artista paulista Tiago Tebet é marcada pelo desgaste. Suas obras são construídas a partir do desgaste de seu suporte. Raspagens e cortes, muito mais do que incorporar estéticas modernistas, discutem e promovem um olhar sobre a cultura fora do eixo. Tebet, que será destaque da SIM Galeria na feira de exposição Peru Arte Contemporaneo 2015 (PArC), que acontece entre os dias 22 e 26 de abril na capital peruana Lima, trata conceitualmente da demarcação do espaço e do tempo por meio de suas técnicas de desgaste.

Desvio dos raios luminosos I

Junto de expositores e artistas do mundo todo, a obra do artista pretende trazer, entre outras questões, um olhar para a dominação cultural européia. É assim, por exemplo, que apresenta a série Constelações do Mato, que traz representações gráficas de constelações como o Cruzeiro do Sul, que não é visto do hemisfério norte. “Uma constelação é um desenho criado por alguém que está tentando mapear os céus. Usamos a referência das constelações gregas, mas os índios brasileiros têm seu próprio mapeamento do céu.”, explica Tebet sobre sua abordagem sócio-política. “O fato de estarmos voltados novamente para a cultura do hemisfério sul – um hemisfério de emergentes – é sinal de que a cultura dominante não nos atende completamente”.

Cruzeiro do Sul

Além da série Constelações do Mato, o artista também trará outras obras e instalações em diversos materiais, como arames, papelão, rodas de skate e pedaços de pão.Tebet já havia realizado a exposição individual Califórnia na SIM Galeria em 2012, mas esta é a primeira vez que tanto o artista quanto a Galeria expõem no PArC.

Desvio dos raios luminosos II 

Sobre o artista:
Tiago Tebet nasceu em São Paulo em 1986, onde vive e trabalha até hoje. Formado em artes visuais pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em 2009, já atuou como assistente de atelier dos artistas Antonio Peticov e Leda Catunda. Realizou diversas exposições individuais e coletivas pelo Brasil, entre elas Standard e Overal, ambas na Luciana Brito Galeria em 2011 e 2013, respectivamente, e Califórnia, na SIM Galeria, em 2012. Fez ainda parte do grupo Anarcademia, em 2008, durante a 28ª Bienal Internacional de São Paulo.

Sobre a SIM Galeria:
Fundada em 2011 em Curitiba, a SIM Galeria nasceu para atuar como um espaço difusor de arte contemporânea, exibindo artistas brasileiros e internacionais com investigações nos mais variados suportes:  pintura, fotografia, escultura e vídeo. Ao longo dos últimos três anos, a SIM foi palco de uma série de mostras individuais e coletivas organizadas por curadores convidados, como Agnaldo Farias, JacopoCrivelli, Denise Gadelha, Marcelo Campos, Fernando Cocchiarale e Felipe Scovino. A galeria também é responsável pela assinatura de catálogos e outras publicações. A SIM ainda trabalha em conjunto com instituições brasileiras e estrangeiras com o intuito de promover exposições e projetos de artistas nacionais e internacionais. www.simgaleria.com

Comentários