Pular para o conteúdo principal

Poupar para precaver


Dois mil e quinze começou difícil para a população brasileira. Além de todos os tributos comuns cobrados no início do ano, os brasileiros depararam-se com alta em diversos setores: energia, transporte, água. Sendo assim, como organizar as finanças para não entrar em um endividamento logo nos primeiros meses de 2015?

Segundo a coach Cibele Nardi, o planejamento financeiro deve ser feito mensalmente já incluindo o montante gasto com impostos. “É preciso calcular o valor total pago em tributos anualmente e dividi-lo em 12 vezes. Assim, a cada mês, uma parte dessa dívida é armazenada e ao final do ano, o valor integral é resgatado para a quitação das despesas”, ensina.

O grande erro das pessoas é gastar tudo o que se ganha, sem fazer uma reserva, acredita a coach. “No planejamento financeiro, o ideal é separar 20% do salário para colocar em uma poupança e, futuramente, construir um patrimônio. Também reservar um valor mensal para quitação de dívidas e pagamento de impostos e, somente com o que sobrar, utilizar nos demais gastos”, explica Cibele.

Desta forma, sempre haverá uma reserva para emergências, como no caso de aumento de tarifas não planejados e outros imprevistos que possam vir.

Comentários