Pular para o conteúdo principal

Suplementação e atividade física

A campeã paranaense de fisiculturismo 2014 na categoria Welness, Manuela Barros (fotos), conta como alia a atividade e as cápsulas

Nesta última década, o hábito de praticar atividades físicas ganhou muitos adeptos, aumentando assim a procura por academias. Paralelamente cresceu também o mercado de suplementos. Hoje, a suplementação não é exclusividade de atletas de alto nível, quem está iniciando na prática esportiva também busca as cápsulas como aliadas. Mas o inverso, como a ausência de atividade física combinada com a suplementação, de acordo com o professor de educação física da Hype Fitness, Fabiano Sotomaior, pode ser perigoso: “O excesso de suplemento sem gasto de energia pode ser perigoso, pois pode sobrecarregar órgãos importantes, como os rins, por exemplo”, alerta.

De maneira geral, a necessidade de nutrientes de atletas só difere em quantidade da recomendação para sedentários. A suplementação é indicada quando a ingestão de alimentos não consegue alcançar as necessidades, ou mesmo se estas forem muito aumentadas, o que vai depender da frequência dos treinos e da atividade escolhida. Em algumas situações, o suplemento pode ser associado a uma refeição para garantir o aumento de um nutriente específico, para tornar a dieta mais viável dentro da rotina diária de cada atleta ou para melhor a absorção de determinado nutriente. 

“Além de melhorar a performance, a suplementação auxilia nos casos de aumento de massa magra (hipertrofia) e no aumento do metabolismo, garantindo resultados positivos e seguros”, afirma Sotomaior.

Comentários