Pular para o conteúdo principal

Procedimentos estéticos aumentaram mais de 40% nos últimos anos


Nos meses do inverno, o clima frio somado às férias escolares contribuem para o aumento da procura pelas cirurgias plásticas, procedimento que cresce cada vez mais no Brasil. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), os brasileiros estão em segundo no ranking mundial em cirurgias estéticas, perdendo apenas para os Estados Unidos. Pesquisa realizada pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps), em parceria com a SBCP, aponta que a procura por este tipo de procedimento cresceu 43,9% em três anos. De acordo com o cirurgião plástico Ralf Berger, dois fatores justificam estes dados. "Um deles certamente é o aumento do poder aquisitivo da classe média e o acesso dessa grande parte da população às cirurgias plásticas", garante.

Outro ponto citado por Berger é a busca, cada vez mais cedo, pelo corpo perfeito: "os estereótipos de beleza mundiais estão influenciando gerações cada vez mais cedo e hoje podemos notar meninas de 15, 16 anos nos consultórios de cirurgia plástica", afirma o médico. Segundo ele, neste período de férias de inverno, quase 50% dos pacientes possuem menos de 25 anos. "A diminuição dos riscos e a evolução dos procedimentos também atraiu muita gente em busca do corpo perfeito", lembra Berger. Porém, o médico faz um alerta: "isso não significa que não existam riscos".

A decisão de fazer uma cirurgia deve ficar por conta do paciente e o médico não pode influenciar, mas apenas sanar todas as dúvidas antes e depois da cirurgia, auxiliando o paciente na hora de decidir. Formado pelo Instituto Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro, Berger atua com cirurgias de nariz, face, contorno corporal, mama e, a mais solicitada, a lipoaspiração, requisitada por mais de 20% do público que frequenta o seu consultório, em Curitiba (PR).

Para evitar complicações com a cirurgia, é necessário que o paciente escolha um profissional capacitado e qualificado para o procedimento. Segundo a SBCP, mais de 85% das denúncias de cirurgias plásticas foram relacionadas a profissionais que não tinham título de especialista. "Procurar um profissional que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é o primeiro passo. Existe muita gente que faz cirurgias plásticas e não tem formação. É muito importante ver as qualificações do cirurgião", salienta Berger. Sentir-se à vontade para tirar todas as dúvidas e pegar informações sobre onde o procedimento será realizado também são dicas do cirurgião - afinal, é natural ficar ansioso com o pré-operatório e esquecer alguns detalhes importantes.

Comentários